8 de ago de 2011

SER ORGANIZADO = PROGRESSO



Mesmo através de uma observação rápida e superficial do mundo que nos cerca somos capazes de entender, de forma bastante clara, que existe um elemento ou fator que, por mais que nos venhamos interferir, ele está presente em tudo o que existe. A este elemento básico damos o nome de “Organização”.

Por exemplo, você nunca verá o sol nascer às dezoito horas, nem tão pouco verá um período de doze meses sem que ocorram as quatro estações. Tudo ao nosso redor demonstra que há uma ordem pré-existente ou um ciclo organizado, que condiciona o movimento e a evolução das coisas neste mundo. Desta forma uma coisa é inegável, o ser humano é chamado a ser um ser organizado. 

Se tratando de gestão de pessoas e da qualificação profissional, sempre dissemos que das muitas competências requeridas dos profissionais, algumas devem ser buscadas com maior afinco, a organização ou o ser organizado é uma das quais devemos persistentemente buscar. Esta, uma vez alcançada, deve ser desenvolvida dia a dia de modo a alcançarmos a sua plena eficácia, visto que esta influenciará nossa vida em todos os aspectos.

Uma das definições de “organização” diz o  seguinte: “Ato ou efeito de organizar”.
Organizar, por sua vez é definido da seguinte forma: “Dar às partes a disposição (acomodar, arrumar ou instalar) necessária para as funções a que ele se destina”. Em outras palavras ser “organizado” é o mesmo que “utilizar cada coisa de acordo com a finalidade para qual a mesma foi previamente estabelecida”. Por exemplo, se eu retiro um livro de uma prateleira, devolvo-o a mesma. Se precisar colocar um parafuso, uso uma chave de fenda. Se for jogar futebol de campo, uso uma chuteira. Se há uma prateleira é ali que devo colocar o livro, se é um parafuso que terei de apertar, a ferramenta será a chave de fenda e, se o futebol é de campo, a chuteiras deverá ser o calçado que deverei utilizar.

Estes são exemplos simples da aplicação prática com conceito de organização. E é neste ponto em especial que se encontra a maior dificuldade de muitas pessoas. A tarefa de devolver cada coisa no seu devido lugar ou local de origem, ou mesmo utilizar um determinado objeto ou ferramenta na execução da atividade para qual o mesmo foi projetado, é uma tarefa que muitos não são capazes de realizar. O simples fato de devolver um determinado objeto no local de onde o mesmo foi retirado torna-se uma tarefa impossível de ser realizada, quando o indivíduo não é organizado.

Por isso “organização ou ser organizado” tem se tornado muito mais que uma qualidade individual, ela tem se tornado uma competência que evidencia os bons profissionais, visto que esta agrega valor ao indivíduo e à organização onde o mesmo estiver inserido.

A primeira coisa que devemos lembrar, e que a maioria das pessoas ignora é o fato de que tudo tem um local definido para estar ou um local de origem, da mesma forma que tudo tem uma finalidade (alvo ou objetivo) específico. Ignorar esta questão é uma característica presente nos indivíduos que apresentam um elevado índice de desorganização. E este índice elevado geralmente é causado por dois fatores: insubordinação e gerenciamento incorreto do tempo.

  • Insubordinação
Você deve estar se perguntando, o que insubordinação tem a ver com organização. Na verdade insubordinação não tem nada a ver com organização, mas sim com a falta dela. Veja bem, organização também é sinônimo de ordem, da mesma forma que ordem também é um sinônimo de obediência. Visto que é necessário que haja obediência a fim de que haja ordem, da mesma forma que é necessário que haja ordem para que se alcance organização. Sendo assim, para que exista ordem é necessário que haja obediência. Seguindo o mesmo raciocínio, mas agora no sentido contrário. O contrário ou antônimo de obediência é desobediência que é sinônimo de desordem que por sua vez é sinônimo de desorganização ou anarquia. A pessoa desorganizada tem uma grande indisposição de aceitar ordens, não somente da disposição das coisas ao seu redor, como também de terceiros e de si mesmo. Isso explica o fato da própria pessoa viver um estilo de vida desorganizado, onde não vê como sendo prioridade a organização de suas atividades, objetos pessoais, tarefas ou responsabilidades. Estas não admitem estar subjugadas a nenhum conjunto de ordens ou regras, mesmo que estas sejam conscientemente sugeridas por elas mesmas.

Por exemplo, se a ordem é para que todos se levantem às seis da manhã, ela se levantará às seis e meia, buscando com isso demonstrar que não se submeterá ao mesmo regramento apresentado aos demais. Buscando assim, demonstrar possuir independência e liberdade de escolha por meio da insubordinação.


Em se tratando de um ambiente profissional quanto ao fato da obediência e da ordem, deve ser uma competência requerida e devidamente apurada em um processo de seleção, uma vez que um indivíduo que tenha dificuldade em se adaptar e seguir o conjunto de regramento existente na organização também terá dificuldade em se submeter às ordens pré-estabelecidas, da mesma forma que certamente encontrará dificuldades em seguir as ordens dirigidas a ele por seus superiores ou iguais.

  • Gestão do Tempo
Precisamos entender que tudo tem um tempo determinado e deve ser utilizado a fim de atender a finalidade para a qual foi estabelecido. Quando negligenciamos este princípio damos abertura para investimentos falidos. Investimentos falidos são aqueles que não nos proporcionam retorno algum, pelo contrário, absorvem o tempo que temos, criando lacunas que precisarão ser preenchidas com o tempo que deveria ser destinado para outras atividades. Assim, sempre seremos levados há iniciar o dia seguinte devendo horas que foram utilizadas no dia anterior.
 
Uma das razões por termos tanta dificuldade em aplicarmos o tempo que temos nas atividades que estão sob nossa responsabilidade é a distração. O conceito de distração diz que uma pessoa distraída é aquela que tem a sua atenção atraída ou desviada para outro ponto ou objetivo. Desta forma, podemos dizer que a fim de gerirmos melhor o tempo que temos de modo que alcancemos a organização, precisamos estar atentos de maneira que nossa atenção, foco ou objetivo não venha ser desviado para nenhum outro ponto que não seja o que havíamos estabelecido. Precisamos conhecer de forma bem clara onde desejamos chegar e qual é o nosso objetivo, seja ele imediato, de curto ou de longo prazo e persistir em busca do mesmo, afim de que não venhamos ser seduzidos a desviarmos ou desistir do caminho.

Atenção e objetivo, dois fatores que precisam estar bem definidos a fim de gerirmos de forma eficaz o tempo que temos.


Assim podemos concluir que: ser organizado não é só uma competência, é uma condição clara para que obtenhamos o sucesso, seja na vida pessoal como na vida profissional.
 
 
 
Fonte: RH Portal

Share/Bookmark

Nenhum comentário: